Tuesday, March 07, 2006

 




Como podem ver aparece este blog simplesmente para falar deles.
Como nos enganaram e como nos roubam até o sono.

És tempestade,
És bonança.
És mar,
És rio.
És mel,
És vinagre.
És pássaro livre,
És pássaro engaiolado.
És contradição,
És todos os opostos.
És essência de perfume,
Dentro de um frasco de veneno.
És o que eu desejo,
É a ti que não posso querer.
És tu,
És...
Só teu.
E por isso não podes ser meu.





Perto assim...
Perto assim,
Como se já te amasse...
E tu a mim...
Perto assim sem mais ninguém...
Como se te quisesse para sempre...
E tu a mim também...
Perto assim que me aconchega...
Contando horas e minutos...
Do tempo que parece que nunca mais chega...
Perto assim sem medo...
Mesmo que desapareças,
Por entre aquele arvoredo...
Vamos continuar perto assim?
Perto assim!!
Eu com falta de ti e tu com falta de mim...
Perto assim...
Assim perto...

Sentidos...
Falar de sentimentos...
Deixar-me sentir...
Deixar-te tocar-me a alma...S
abia que era uma bomba relógio.
Falar em prolongamentos...
Deixar-me ir...
Deixar-te mentir com essa calma...
Sabia que era uma bomba relógio.
Falar em ressentimentos...
Deixar-me amar...
Deixar-te bater com essa palma...
Sabia que era uma bomba relógio.
Eu sabia que tu e eu,
Eramos uma bomba relógio,
Sabia que estavamos prontos a explodir...
Sabia que um de nós acabaria por desistir...
Sabia que nenhum poderia admitir o que perdeu...
( Desta vez fui eu )




Sentidos no total...
Julgava-me protegido de ti,
Aqui na minha redoma.
Julgava-me intocável,
Dentro da minha redoma.
Chegaste,
Não a quebraste.
Estavas dentro de uma igual.
Foi dificil deixar-me tocar por ti,
Tinha medo de a quebrar,
E que com ela se quebrasse...
A minha Alma.
Só depois percebi...
Se estavas dentro de uma igual...
Também tinhas medo que ela se quebrasse,
E com ela...
A tua Alma.
Julgavas-te protegido de mim,
Aí na tua redoma.
Julgavas-te intocável,
Dentro da tua redoma.
Só depois percebes-te...
Se eu estava dentro de uma igual...
Também tinha medo que ela se quebrasse,
E com ela...
A minha Alma.
Foi dificil deixares que te tocasse,
Tinhas medo que a tua redoma quebrasse,
E com ela,
A tua Alma.
Cheguei,
Não a quebrei,
Estava dentro de uma igual...
Percebemos agora,Que é possivel...
Manter as nossas redomas livres...S
em as quebrar...
Podendo sempre um ao outro,
Até dentro delas...
Nos tocar.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?